Reator de hidrogênio para carros: Saiba tudo sobre

reator de hidrogênio para carros

Nesse época em que o combustível está “pela hora da morte”, faz todo o sentido pensar mais em aproveitar melhor outras fontes de energia, não é mesmo? É assim que todo o burburinho em volta do reator de hidrogênio para carros volta à tona. Afinal, seria perfeito poder aproveitar outras possibilidades de economia.

Especialmente quando se trata dessa opção hidrogênio, todos têm a expectativa de reduzir até 60% do consumo de combustível apenas utilizando o equipamento.

Mas, você sabe o que é um reator de hidrogênio? Mesmo que já tenha ouvido falar, certamente temos aqui informações que vão te interessar. Então, para saber todos os detalhes sobre o assunto, basta continuar neste post até o final!

O que é um reator de hidrogênio para carros?

Esse é um tipo de mecanismo relativamente simples. Trata-se de um conjunto de dois compartimentos que são instalados no cofre do motor, funcionando a partir de uma mistura que leva água e sal, basicamente. Em ternos técnicos, a molécula de água se quebra a fim de que se obtenha o hidrogênio.

Após o processo, o gás segue para o sistema de admissão do motor. Por causa do grande potencial que uma explosão como essa tem, o resultado é a aceleração do processo de queima de combustível. Assim, acontece a redução no consumo do combustível.

Embora os termos técnicos pareçam uma complicação, no comércio, ele é vendido como um kit. Essa ainda é uma incógnita entre os especialistas. Afinal, quem garante que funciona, geralmente, é quem produz. Apesar de a explicação fazer muito sentido cientificamente, espera-se ainda o aval de estudos mais profundos sobre o assunto.

Enquanto isso, os interessados em economizar no abastecimento, investem um valor que vai de R$ 2 mil a R$ 4 mil, a depender de questões como porte do carro, combustível utilizado, dentre outras variáveis.

Apesar de essa informação deixar as pessoas um pouco confusas, ter um reator de hidrogênio não é o mesmo que possuir um carro movido a hidrogênio. Isso porque, quando falamos de reator, estamos falando de um processo que cria o gás no momento da ignição do motor. Por sua vez, um carro movido a hidrogênio funciona como um carro movido a combustíveis comuns. Ou seja, o hidrogênio precisa ser criado previamente e reservado em um tanque comum, como acontece com os demais combustíveis.

reator de hidrogênio
Foto/Reprodução: Oficina 70

Como funciona um reator de hidrogênio para carros?

Em média, um motor desperdiça parte do potencial em forma de calor. Assim, um reator de hidrogênio age no sentido de aproveitar melhor o combustível, estimulando o movimento da sua queima. A ideia é que o equipamento use a eletricidade da bateria do veículo a fim de produzir o hidrogênio a partir da água. Depois de ser injetado no motor, o hidrogênio se mistura com o combustível que já está lá e realiza a explosão de energias que potencializa a queima do combustível.

A utilização do reator de hidrogênio conta com o auxílio da bateria do veículo. Entretanto, apenas utilizando uma média de 12V 10Amp, há a possiblidade de que se produza até 11 litros de gás por minuto. Embora seja uma taxa de produção bem alta, não é o bastante para utilizá-lo como combustível principal.

Quando se trata de motores movidos a diesel, o processo pode ser um pouco diferente. Afinal, enquanto os veículos à gasolina consomem combustível em excesso, os motores a diesel requerem muita utilização de ar. Mesmo assim, a partir da utilização do processo próprio, após a injeção do hidrogênio no motor, a queima do combustível é feita ao menos 5 vezes mais rápida do que a forma convencional.

O uso do reator de hidrogênio é permitido?

De maneira geral, o DETRAN exige que, alterações significativas no veículo sejam registradas em seu documento. Inclusive, a lei dispõe de uma lista de equipamentos que estabelece quais são sejam esses equipamentos. Quando é o caso, é preciso ter uma autorização prévia do órgão e, depois da instalação, passar por uma vistoria antes da alteração do documento.

Uma vez que não altera as características do veículos, não há proibição expressa da instalação do equipamento. Por essa razão é que tem se tornado uma prática bastante comum entre os brasileiros. Embora não haja nenhuma normativa positiva, o Detran também não vê como um objeto de proibição.

Onde instalar o reator?

O reator pode ser instalado em locais diversos no carro. Entretanto, a orientação principal é para que fique longe do calor do motor, e em uma posição que permita certa passagem de ar.

Assim, o local mais comum que os usuários utilizam são o espaço entre a grade dianteira e o radiador; próximo à parede corta-fogo, embaixo do carro, em um espaço do compartimento do motor, e até no porta-malas do carro.

Independente de onde se instale, é importante fazer uma espécie de revisão quinzenal no equipamento, a fim de verificar o nível do eletrólito. Além disso é preciso fazer a reposição da dosagem ao se verificar que está abaixo do nível recomendado.

reator de hidrogênio
Foto/Reprodução: Vrum

Embora seja muito comum se encontrar por aí, vídeos e tutoriais que ensinam a instalar o equipamento de maneira manual e caseira, essa não é a melhor escolha. Afinal, mesmo que pareça um sistema simples, envolve conhecimentos que são muito mais seguros quando vindos de um profissional.

Por essa razão, caso você opte pela utilização de um reator de hidrogênio, prefira sempre contar com a ajuda de profissionais no assunto. Afinal, além de tudo, você ainda tem a garantia do serviço executado.

Benefícios e desvantagens do reator de hidrogênio

Conforme nós já adiantamos, há essa possibilidade. Entretanto, o assunto ainda é objeto de estudos. Ao que tudo indica, essa é uma maneira de otimizar o uso do combustível que você já utiliza. Assim, o assunto nada tem a ver com carros movidos à água, ou algo do tipo. Trata-se de um melhor aproveitamento do combustível; fazendo mais e gastando menos. Como tudo o mais na vida, o processo reúne algumas vantagens e desvantagens, que você vai passar a conhecer agora.

Benefícios

Uma das vantagens do reator de hidrogênio é que ele não oferece grandes riscos. Como o gás é gerado no momento da explosão, o veículo não armazena o gás. Ou seja, ele é produzido e utilizado no mesmo momento, o que reduz os perigos que um gás normalmente possui.

Outra grande vantagem é o principal interesse das pessoas que costumam utilizar esse tipo de artifício. Trata-se da economia de combustível, causada pela otimização da sua queima. A partir da utilização do reator, a queima de combustível se torna mais eficiente, o que exige menos do tanque de combustíveis. A ideia então, e a promessa, é que os reatores reduzam o consumo em até 60%.

Além disso, a aplicação da técnica parece reduzir também a emissão de gases poluentes. Pois, os combustíveis tradicionais estão entre os piores poluentes do meio ambiente. Assim, a adoção do reator de hidrogênio também seria uma prática sustentável.

O uso do reator também promete aumentar a potência do carro. Com ele, a ideia é que o motor também dure mais tempo, aumentando a vida útil do veículo. Uma das razões para que isso aconteça é o fato de que o óleo se torna mais limpo, já que o motor recebe menos depósito de carbono.

Desvantagens

Mas, como tudo na vida, a utilização desse equipamento também pode apresentar algumas desvantagens. Por enquanto, o assunto ainda encontra algumas discussões. Assim, a falta de embasamento claro e científico sobre o assunto seria uma das desvantagens. Afinal, embora seja um negócio difundido, as garantias são apenas dos produtores do equipamento.

Além disso, por motivos óbvios, trata-se um equipamento que demanda um certo investimento. A depender do tipo de veículo a que se destina, o kit hidrogênio pode chegar a custar uma média de R$ 4 mil.

Leia também: Reator de hidrogênio para carros: Saiba tudo sobre

Receba nossas novidades em primeira mão!