Blindagem veicular: conheça mitos e verdades

blindagem veicular

Você sabia que a blindagem veicular é uma das opções encontradas pelos motoristas para proteger o veículo contra agressões externas, em especial de tiros de arma de fogo? Para uma proteção eficaz, no entanto, o ideal é que todo o veículo seja blindado e não apenas as portas ou vidros. Neste post, explicaremos como funciona a blindagem e quais são os principais mitos sobre esse processo. Confira!

O que é blindagem veicular?

Antes de saber quais os mitos e verdades sobre a blindagem veicular é importante saber o que é esse procedimento. A blindagem é um revestimento veicular feito de aço ou polímeros (material muito resistente composto por cadeias sequenciais de macromoléculas) como a aramida, que tem como função proteger o veículo contra agressões externas, em especial de tiros de arma de fogo. A blindagem de nível III-A é a mais usada no mercado. Ela confere mais proteção ao veículo e suporta até tiros de pistolas 9 mm e de revólveres 44 Magnum, uma das mais potentes armas de mão.

Mitos e verdades

Todo carro pode ser blindado

Mito. Pois, para receber a blindagem é necessário que o veículo tenha potência superior a 90HP (horse-power). Veículos com potência menor, como os carros de motor 1.0, não devem ser blindados. Uma vez que o peso da blindagem, somado ao peso do carro, fará com que o desempenho do veículo diminua, além disso pode provocar desgastes na suspensão e amortecedores.

Para blindar um carro é necessária autorização do Exército

Verdade. Para fazer a blindagem, toda pessoa física deve solicitar autorização do Exército Brasileiro, em nome do proprietário do veículo. Sem essa autorização o procedimento é proibido. Além disso, o uso da blindagem, no entanto, é controlado. Para autorizar, o órgão precisa receber a documentação do proprietário do carro, da blindadora e dos materiais que serão usados.

Pneus podem ser blindados

Mito. Não existe uma blindagem específica para os pneus, no entanto, as rodas podem receber um sistema de proteção que pode ser uma cinta de aço ou produzida por polímeros especiais.

Powered by Rock Convert

Comprar um carro usado já blindado é mais vantajoso

Mito. Isso vai depender da qualidade da blindagem feita. O material usado na blindagem determinará o seu tempo de vida útil. Se não forem feitos tratamentos adequados contra os raios UV, por exemplo, a blindagem vai se deteriorar com o tempo ou pelo calor excessivo. Além disso, deve-se respeitar o prazo estipulado pelo fabricante. Em geral, o tempo médio de duração de uma blindagem é de 5 anos. Se o prazo já estiver vencido na hora da compra, o veículo usado não estará mais protegido.

O processo de blindagem é demorado

Mito. O processo de blindagem de um veículo demora aproximadamente 30 dias. Isto é, o ideal é que o proprietário acompanhe o processo na fábrica, isso gera confiança e garante que a blindagem seja feita de maneira correta.

Vale a pena investir em blindagens mais baratas

Mito. O processo de blindagem é muito complexo, e por isso mais caro. O carro é totalmente desmontado, a fim de que cada peça receba a blindagem de maneira adequada. Cada veículo passa por um processo de blindagem específica, pois cada modelo tem curvas e medidas próprias. Os vidros originais são substituídos por outros que garantem proteção contra tiros.

Embora existam blindagens baratas no mercado, é necessário avaliar o serviço que está sendo oferecido e a montadora que está realizando o processo. Para diminuir o custo, algumas empresas utilizam materiais insuficientes ou de baixa qualidade, isso faz com que a proteção não seja eficaz.

Esses são alguns mitos e verdades sobre o processo de blindagem veicular. Lembre-se de procurar empresas especializadas e de qualidade. Ficou com alguma dúvida sobre esse assunto? Comente abaixo.

[]
1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fale Conosco