Tópicos

câmbio CVT

Câmbio CVT: Como funciona e vantagens e desvantagens

Há somente 20 anos que esta tecnologia que vive a mais de meio milênio está fazendo sucesso no mercado de automotivos. Este é o câmbio CVT. Não sabe o que é ou como funciona? Calma que estamos aqui para te ajudar nisso.

O que é câmbio CVT?

O câmbio CVT está presente e designa principalmente carros automáticos. Esta sigla significa continuously variable transmission (transmissão continuamente variável).

Isso pois o sistema de transmissão CVT é diferente em muitos jeitos do sistema de engrenagens que estamos acostumados no geral.

O câmbio CVT promove uma troca de marchas mais suave e nos dá a impressão de que ele é melhor calibrado, pois quando temos a necessidade de meia marcha para completar a força ou liberar a força nós encontramos este apoio lá.

O câmbio é estruturado para oferecer estas trocas suaves. O próprio nome já diz, a transmissão é continuamente variável.

A seguir entenderemos um pouco melhor sobre a origem, os tipos e as vantagens e desvantagens de um câmbio CVT.

Origens do câmbio CVT

Como citamos anteriormente, este estilo de câmbio é datado de mais de 500 anos atrás. O primeiro esboço de um sistema CVT foi feito por Leonardo Da Vinci em 1490.

Tudo começou com o objetivo de melhorar o trabalho agrícola realizado por animais. Há ainda hoje manuscritos feitos pelo artista do funcionamento deste câmbio manual.

Alguns séculos depois, em meados de 1880, este esquema foi patenteado pela Zenith Motorcycles, sendo inserido em motocicletas e atestado funcionar muito bem.

No pós guerra a tecnologia foi inserida no carro DAF na Holanda e aprimorada, ficando conhecida como Variomatic. O compacto não perdurou e ficou cerca de 5 anos somente no mercado.

O engenheiro Hub Van Doorne aprimorou o sistema da Zenith Motorcycles com apenas duas polias e uma correia de transmissão.

A pesar do curto sucesso, essa mobilidade Variomatic como foi nomeada deu ao veículo a facilidade de andar na mesma velocidade para frente e em marcha ré.

A Subaru deu visibilidade para o recurso o nomeando câmbio CVT no final dos anos 80.

Desde então, Toyota, Nissan e Honda começaram a trabalhar com essa tecnologia e também em aperfeiçoar o sistema.

Agora que o câmbio aprimorava não somente a velocidade, mas otimizava também o consumo de combustível, as empresas ocidentais se interessaram igualmente.

Como funciona?

O sistema CVT veio para otimizar a troca de marchas. O sistema inicial que contava com duas polias e uma correia, fazia com que as polias realizassem fricção na correia e a dimensão era aumentada ou diminuída de acordo com o espaçamento que as polias forneciam.

Assim, os carros puderam ganhar mais agilidade na locomoção pelas caixas de marcha. Porém estes câmbios tem baixa resistência a altos torques.

Variedades de CVT

Com tanto tempo de estudos sobre os câmbios CVT, cada empresa desenvolveu seu estilo de câmbio. Iremos falar a seguir um pouco sobre o que cada montadora propôs.

Nissan

O modelo de câmbio CVT proposto pela Nissan é chamado “toroidal” o que requer maior nível de torque para entregar um bom funcionamento.

A diferença do toroidal para o tradicional é que no lugar da correia há dois rolamentos, adicionando assim mais velocidade no carro.

Há também a variação CVT de fricção onde no lugar das polias tem dois cones em contato com a correia no meio.

Este se destaca dos modelos tradicionais, porém na relação desempenho deixa um pouco a desejar.

Toyota

A Toyota veio apresentando a tecnologia “Direct Shift” que oferece uma primeira marcha que possui força suficiente para retirar o carro da inércia.

A transmissão do CVT neste modelo é feita através de embreagens magnéticas.

Honda

Já a Honda trouxe o sistema e-CVT que conta com dois motores elétricos dentro da transmissão.

O objetivo é otimizar a perda de energia que haveria no câmbio a transformando em eletricidade, ajudando assim tanto o motor quanto a bateria.

Vantagens

A seguir listaremos algumas das vantagens do câmbio CVT.

  • Progressão e suavidade;
  • Distribuição adequada de torque;
  • Eficiência energética;
  • Economia.

Desvantagens

Este câmbio, a pesar de entregar maior velocidade e eficiência também trabalha com pontos negativos. Estes são:

  • Manutenção cara;
  • Necessidade de mão de obra especializada;
  • Barulho na cabine;
  • Simulação de marchas eletronicamente.

Então, com isso podemos ver que todas as tecnologias possuem seus pontos positivos e negativos.

Porém os pontos positivos do câmbio CVT são realmente bons, como a suavidade, boa resposta a velocidade, eficiência energética e economia.

Portanto é de extrema importância, agora que você conhece o tão falado câmbio CVT, pesar na balança e decidir qual a melhor opção.

Há um modelo extremamente famoso no mundo automotivo esportivo que é o Nissan Skyline que tem muito mais que um câmbio com boas qualidades, e nós fizemos um artigo só sobre esta lenda! Corre lá para ficar por dentro desta obra-prima da Nissan!

 

Estamos com instabilidade no nosso número principal

(31-33734355)

Favor entrar em contato
pelos números abaixo: